SAUDADES

 

Eu sinto saudades. Coisa estranha essa tal de saudade. Você não vê, não pega, mas ela está ali. Saudade dói. Dói forte. É como se alguém estivesse apertando o seu coração; estrangulando-o. É uma dor imaterial. Não dá pra fazer curativos. Mas há consistência neste imaterial. Eu sinto saudade dos sonhos. Do cheiro. Do gosto. Das carícias trocadas. De tudo que poderia ter sido. Não foi. Eu sinto saudade das palavras doces. Do olhar carinhoso. Dos planos loucos. Eu sinto saudade também do que não existiu. Queria tanto que tivesse existido. Mas não houve. Eu sinto saudades. Ela mora em mim. Um dia para de doer. Ela está começando a ir embora. E eu já sinto saudades.

” Em alguma outra vida, devemos ter feito algo de
muito grave, para sentirmos tanta saudade…”  – 
Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo
no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé,
doem.Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, 
dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade. Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do
gosto de uma fruta que não se encontra mais. 
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu. 
Saudade de uma cidade.  Saudade da
gente mesmo, que o tempo não perdoa. 
Doem essas saudades todas. Mas a
saudade mais dolorida é a saudade de quem
 se ama.
Saudade é não saber ! Não saber o que fazer com os dias
que ficaram mais compridos, não saber como encontrar 
tarefas que he cessem o pensamento, não saber como 
frear as lágrimas diante de uma música, não saber como 
vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ela está com outro, 
e ao mesmo tempo querer. 
É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a 
todos os amigos por isso… É não querer saber se ele está 
mais magro, se ela esta mais bela. Saudade é nunca mais 
saber de quem  se ama, e ainda assim doer. 
Saudade é isso que senti enquanto 
estive escrevendo e o que você, provavelmente, está  
sentindo agora depois que acabou de ler…

 

Eu tenho saudades de tudo que marcou a minha vida
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
Quando escuto uma voz, quando me lembro do passado,
Eu sinto saudades…

Sinto saudades de amigos que nunca mais vi,
De pessoas com quem não mais falei ou cruzei…
Sinto saudades da minha infância,
Do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro,
Do penúltimo, e daqueles que ainda vou vir a ter,
Se Deus quiser…

Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo,
Lembrando do passado e apostando no futuro…
Sinto saudades do futuro, que se idealizado,
Provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser…

Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei,
De quem disse que viria e nem apareceu;
De quem apareceu correndo, sem tempo de me conhecer direito,
De quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.

Sinto saudades dos que se foram
E de quem não me despedi direito,
Daqueles que não tiveram como me dizer adeus;
De gente que passou na calçada contrária da minha vida
E que só enxerguei de vislumbre;
De coisas que eu tive e de outras que não tive, mas quis muito ter;
De coisas que nem sei como existiram, mas que se soubesse,
De certo gostaria de experimentar;

Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que,
Não sei aonde,
Para resgatar alguma coisa que nem sei o que é
E nem onde perdi…

Vejo o mundo girando e penso que poderia estar
Sentindo saudades em japonês,
Em russo, em italiano, em inglês,
Mas que minha saudade,
Por eu ter nascido brasileira,
Só fala português embora, lá no fundo, possa ser poliglota.

Aliás, dizem que se costuma usar sempre a língua pátria,
Espontaneamente, quando estamos desesperados,
Para contar dinheiro, fazer amor e declarar sentimentos fortes,
Seja lá em que lugar do mundo estejamos.
Eu acredito que um simples “I miss you”,
Ou seja, lá como possamos traduzir saudade
Em outra língua, nunca terá a mesma força
E significado da nossa palavrinha.

Talvez não exprima, corretamente,
A imensa falta que sentimos de coisas ou pessoas queridas.

E é por isso que eu tenho mais saudades…
Porque encontrei uma palavra para usar
Todas as vezes que sinto este aperto no peito,
Meio nostálgico meio gostoso,
Mas que funciona melhor do que um sinal vital
Quando se quer falar de vida e de sentimentos.

Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis,
De que amamos muito do que tivemos e lamentamos as coisas boas
Que perdemos ao longo da nossa existência…

Sentir saudade é sinal de que se está vivo!

 

EH PESSOAS…DE TUDO ISSO, SOH POSSO DIZER QUE TO COM SAUDADES DE TODOS E DE TUDO…

SAUDADES DA MINHA CIDADE, DE ANDAR NA PRAIA, NO CALÇADÃO, NA AREIA….DE SENTIR A MARESIA…..

DE TUDO, TUDO TUDO…..

 

 

 

Anúncios

1 Comentário »

  1. Said:

    Voce sabe cabecao…todos sentimos muito a sua falta… Mas, estamos trabalhando nisso! 🙂

    Quando voltar, nao vai ter desculpa de joelho podre pra nao correr na praia hein 🙂


{ RSS feed for comments on this post} · { TrackBack URI }

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: